MOVIMENTO DA MISERICÓRDIA

Veja um  trecho do filme da Santa Faustina

 https://mail.google.com/mail/ca/u/0/?shva=1#inbox/13f85b61567117ca

 

 

  No dia do Sagrado Coração de Jesus, no Santuário da Divina Misericórdia, tivemos momentos de comemoração e alegria. A Santa Missa foi celebrada pelo pe. Carlos Magno Santana da Costa, consagrado ao Movimento da Misericórdia em 1996 e agora ordenado presbítero em 1 de junho deste ano na Diocese de Araçuaí/MG.

Exiba AO 15.JPG na apresentação de slides Exiba DSC01492.JPG na apresentação de slides     Exiba AO 17.JPG na apresentação de slides Exiba Cópia de AO 11.JPG na apresentação de slides Exiba AO 18.JPG na apresentação de slides Exiba AO 7.JPG na apresentação de slides

Neste dia também,  Eny Lima renovou sua consagração. Fizeram sua consagração:  Mª Mirtes de Souza, Rosa Chaves e Sueli Estrella, e Carolina Milczanwski do Movimento Eucarístico Jovem (que pertence ao Apostolado da Oração).

    Que pela intercessão de Nossa Senhora Rainha dos Sacerdotes,as bênçãos de Jesus Misericordioso, fortaleçam  sua fé, e sua caminhada!

  Parabéns a todos!                               Marita Veiga

 

 Festa de Cristo Rei. Durante e Santa Missa, rezei com fervor para que Jesus seja o Rei de todos os corações, para que a graça de Deus brilhe em toda alma. Então vi Jesus como está pintado na Imagem e Ele me disse estas palavras: Minha filha, a maior glória que Me prestas é cumprir, fielmente, os Meus desejos.Diário 500

Exiba S. Dimas PM 7.9.12.jpg na apresentação de slides A Sra. Eliete Dutra, conseguiu uma graça rezando o Terço da Misericórdia,e  veio  agradecer a Jesus Misericordioso.Veio acompanhada da Sra. Santusa Goulart e do Sr. Pedro Paulo todos da Paróquia de S. Dimas/Padre Miguel.  Recebemos estes peregrinos em 7.9.2012.

 

Exiba S. Terezinha CG 7.9.12.jpg na apresentação de slides Guiados pela Sra. Taís Moura, um grupo de catequistas e membros do Apostolado da Oração, veio ao Santuário, fazer uma adoração nas intenções da catequese. Eles pertencem a Capela de N. Sra. da Conceição da Paróquia de Sta. Terezinha em Campo Grande.

 

Exiba 24.8.12.jpg na apresentação de slides

Estes grupo veio com a Denilson e Christiane de S. Garrido, pedir as bênçãos de Jesus para o pequeno Gabriel  que estava para chegar.
São da Paróquia de S. Lourenço em Bangu.

 

Exiba Sta. Catarina 1.jpg na apresentação de slides      A Sra. Zeli Marchinen e o Sr. José Guimarães vieram de Sta. Catarina especialmente para conhecer o Santuário da Divina Misericórdia que eles, a partir de uma pesquisa na internet tomaram conhecimento. Devotos de Santa Faustina e com grande amor no coração, a Jesus, mostraram que a distancia não impediram de realizar este sonho.

 

PEREGRINOS DO SANTUÁRIO

   Na sexta-feira dia 20 de julho, no “Dia do Amigo” recebemos um grupo de peregrinas que veio de Duque de Caxias. São paroquianas da Catedral de Santo Antonio. Perguntamos porquê  vieram ao Santuário da Misericórdia, e a Srª M. de Fátima Fonseca que coordenava o grupo, nos respondeu: “ Nosso AMIGO estava aqui nos esperando!”. Que Jesus Misericordioso, abençoe: Iraci Lima, Dione Moura, Leia Rosa, M. Aparecida e M. Conceição.E que voltem sempre, Jesus Misericordioso sempre as receberá de braços abertos.

O Sr. Leandro dos Santos com bastante freqüência vem ao Santuário da Divina Misericórdia. Mas no dia 20 de julho, ele veio acompanhado da mãe, duas irmãs e sobrinhos. Todos pertencem à paróquia de S. Judas Tadeu em Bangu.

     Perguntamos por que vieram ao Santuário da Divina Misericórdia, e ele disse que são muitos os testemunhos das graças alcançadas. Desejando que voltem sempre, e que Jesus Misericordioso derrame muitas graças sobre esta bela família, agradecemos as presenças  das Sras.: Andreza, Cristiane e Solange dos Santos.

 ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Neste mes de maio,  recebemos mais um animado, mas fervoroso grupo de peregrinas aonosso Santuário. Vindas de tres paróquias diferentes: N.Srª dos Navegantes  e Sagrado Coração de Jesus no bairro de Pe. Miguel e Menino de Jesus de Praga em Bangu,elas  participaram do Terço da Misericórdia, e da Santa Missa. Agradecemos a visita e aguardamos seu breve retorno

Snta Faustina sempre teve com Nossa Senhora um profundo relacionamento de amor e confiança.

Está relação era uma via de mão dupla, Nossa Senhora por ser amorosamente obediente a Deus, e por amar seus filhos tem por esta freira uma grande predileção. “Minha filha, por recomendação de Deus devo ser tua Mãe de maneira exclusiva e especial, mas desejo que também tu sejas minha filha especial” “Não sou apenas a Rainha do Céu, mas também a Mãe de Misericórdia e tua Mãe” (Diário1414,330)

“Ó Maria, minha Mãe, sabeis como estou sofrendo terrivelmente?” E Nossa Senhora respondeu-me:- “Sei quanto estás sofrendo, mas não tenhas medo, eu me compadeço de ti e sempre me compadecerei”. Sorriu carinhosamente e desapareceu. Diário 25

“A Mãe de Deus recomendava-me que eu seguisse sempre o exemplo d´Ela e,(…)tivesse sempre os olhos fixos na Cruz e acrescentou que as graças que Deus me concede não são só para mim, mas também para as outras almas. Diário 561 .

É claro que o demônio odeia Nossa Senhora, foi através do “sim” de Maria as palavras do anjo, que ele foi derrotado para sempre.Outro motivo está na sua humildade: “A verdadeira grandeza da alma consiste em amar a Deus e humilhar-se em Sua presença, esquecer inteiramente de si e não dar valor algum a si mesmo, porque grande é o Senhor, mas somente pelos humildes tem predileção e aos orgulhosos sempre se opõe” Diário 1711

  Do Diário da Santa Faustina

Comecei a Santa Quaresma como o desejava Jesus, submetendo-me inteiramente à Sua Santa vontade e aceitando com amor tudo que me enviar.   Diário 1625

Quando rezo a Via-sacra, na décima segunda estação sinto uma comoção profunda. Aí reflito sobre o poder da Misericórdia Divina, que passou pelo Coração de Jesus. Nessa chaga aberta do Coração de Jesus encerro toda a pobre Humanidade… Dessa fonte de Misericórdia saíram esses raios, isto é, o Sangue e a Água. Eles, com a imensidão da sua graça, inundam o Mundo inteiro… Diário 1309

———————-

26.03.1937.Sexta feira. Logo pela manhã senti, no meu corpo a paixão das Suas cinco Chagas.Esse sofrimento durou até as três da tarde. Embora, exteriormente, não haja nenhum vestígio, esses tormentos não são menos dolorosos. Alegro-me por Jesus defender-me do olhar humano. D. 1055

Mais uma vez o coral dos jovens da Capela de N. Sr. dos Aflitos que pertence a  paróquia de N. Srª de Fátima/ Pendotiba-Niterói, veio participar da Santa Missa e rezar o Terço da Misericórdia neste 20 de janeiro, dia que comemoramos S. Sebastião. Eram guiados pelo Sr. Ademilson Pereira dos Santos, que com sua bonita voz , é também a pessoa que ensaia este afinado grupo. São jovens, mas já demonstram um amadurecimento na fé  pelo comportamento no altar, e pela  devoção com que rezam. Estão todos de parabéns!
  Ao final foi servido um lanche, e com certeza pedimos que voltassem para que, com seu canto, pudessemos louvar e bendizer ao nosso Deus que é rico em Misericórdia!
     Marita Veiga   MDM

  


Um grupo de 35 peregrinos veio participar da Santa Missa no nosso Santuário no dia 16 dezembro de 2011. Vindos da Paróquia S. Pedro Apóstolo, em Venda das Pedras, bairro de S. Gonçalo RJ, guiados pela Srª Maria Assunção Melo, vieram louvar a Jesus Misericordioso e agradecer, as graças alcançadas. Chamou-nos a atenção a alegria do grupo! Pe. João Sopicki,com seu acordeão incentivou-os a cantar e isto deixou a todos muito felizes! Agradeceram  a acolhida, e prometeram voltar! Aguardamos ansiosos sua visita!

Marita Veiga MDM

Congresso da Misericórdia – clique aqui

http://www.misericordia.org.br/

Videos sobre misericordia no Yutube

http://www.tvdivinamisericordia.com.br/site/index.php?view=video&id=60&option=com_jomtube&Itemid=4

TERÇO DA MISERICÓRDIA

Terço da misericórdia todos os dias às 15h no Santuário

 

Exiba TF 1.JPG na apresentação de slides  Exiba TF 2.JPG na apresentação de slides  Exiba TF 20.JPG na apresentação de slides  Exiba TF 19.JPG na apresentação de slides  Exiba TF21.JPG na apresentação de slides  Exiba TF 22.JPG na apresentação de slides  Exiba TF 23.JPG na apresentação de slides

Reliquias da Santa Faustina no Santuário da Divina Misericórdia – Vila Valqueire

 

 

SANTA IRMÃ MARIA FAUSTINA KOWALSKA
(1905-1938)

Glogowiec, lugar de nascimento de Irmã Faustina

Irmã Faustina com seus familiares

A Irmã Faustina Kowalski, apóstola da Misericórdia de Deus conhecida em todo o mundo,
é considerada pelos teólogos como uma pessoa que faz parte de um grupo de notáveis místicos
da Igreja. Nasceu no dia 25 de agosto de 1905, como a terceira dos dez filhos numa pobre mas piedosa família de aldeões, em Glogowiec (Polônia). No batismo, que se realizou na igreja paroquial de Swinice Warskie, recebeu o nome de Helena. Desde a infância distinguiu-se pela piedade, pelo amor à oração, pela diligência e obediência, e ainda por uma grande sensibilidade à miséria humana. Apesar de ter frequentado a escola por menos de três anos, no DIÁRIO por ela deixado, numa linguagem extremamente transparente, descreveu exatamente o que queria dizer, sem ambiguidades, com muita simplicidade e precisão.

Nesse DIÁRIO, escreve ela a respeito das vivências da sua infância: “… eu senti a graça à vida religiosa desde os sete anos. Aos sete anos de vida ouvi pela primeira vez a voz de Deus em minha alma, ou seja, o convite à vida religiosa, mas nem sempre fui obediente à voz da graça. Não me encontrei com ninguém que me pudesse esclarecer essas coisas”.

Aos dezesseis anos de idade, deixou a casa paterna para ir trabalhar como empregada doméstica em Aleksandrów, perto de Lodz, a fim de  angariar meios para a subsistência própria e ajudar
os pais. Nesse tempo o desejo de ingressar na vida religiosa aos poucos ia amadurecendo nela. Visto que seus pais não concordavam com tal decisão, Heleninha procurou sufocar em si
o chamado divino.

Anos depois, escreveria em seu DIÁRIO: “Numa ocasião, eu estava com uma de minhas irmãs num baile. Enquanto todos se divertiam a valer, a minha alma sentia tormentos interiores. No momento em que comecei a dançar, de repente vi Jesus a meu lado, Jesus sofredor, despojado de Suas vestes, todo coberto de chagas e que me disse estas palavras: Até quando hei de ter paciência contigo e até quando tu me decepcionarás? Nesse momento parou a música animada, não vi mais as pessoas que comigo estavam, somente Jesus e eu ali permanecíamos. Sentei-me ao lado de minha irmã, disfarçando com uma dor de cabeça o que se passava comigo. Em seguida, afastei-me discretamente dos que me  acompanhavam e fui à catedral de S. Estanislau Kostka. Já começava a anoitecer e havia poucas pessoas na catedral. Sem prestar atenção a nada do que ocorria à minha volta, caí de bruços diante do Santíssimo Sacramento e pedi ao Senhor que me desse a conhecer o que devia fazer a seguir. Então, ouvi estas palavras: Vai imediatamente a Varsóvia (Polônia) e lá entrarás no convento. Terminada a oração, levantei-me, fui para casa e arrumei as coisas indispensáveis. Da maneira como pude, relatei a minha irmã o que havia acontecido na minha alma. Pedi que se despedisse por mim de meus pais e assim, só com a roupa do corpo, sem mais nada, vim para Varsóvia” (Diário, 9).

Em Varsóvia (Polônia), procurou um lugar para si em diversas comunidades religiosas, mas em todas foi recusada. Foi somente no dia 1 de agosto de 1925 que se apresentou à Congregação
das Irmãs da Divina Misericórdia, na Rua Zytnia, e ali foi aceita. Antes disso, para atender às condições, teve que trabalhar como empregada doméstica numa família numerosa na região
de Varsóvia, para dessa forma conseguir o enxoval pessoal.

Ela descreveu em seu DIÁRIO os sentimentos que a acompanhavam após ter ingressado
na vida religiosa: “Sentia-me imensamente feliz, parecia que havia entrado na vida do paraíso.
O meu coração só era capaz de uma contínua oração de ação de graças” (Diário, 17).

                Parque Veneza, em Lodz
– o lugar do baile.
Catedral de S. Estanislau Kostka
em Lodz, Polônia.

Interior da catedral. Neste lugar Jesus Cristo chamou Irmã Faustina à vida religiosa.

Casa generalícia da Congregação de Nossa Senhora Mãe da Misericórdia
em Varsóvia, Polônia, Rua Zytnia 3/9, na qual ingressou Irmã Faustina.

Na congregação recebeu o nome de Irmã Maria Faustina. Realizou o noviciado em Cracóvia
e foi ali que, na presença do bispo Estanislau Rospond, professou tanto os primeiros votos religiosos como, passados cinco anos, os votos perpétuos de castidade, pobreza e obediência. Trabalhou em diversas casas da Congregação, porém permaneceu mais tempo em Cracóvia (Polônia), Vilna (Lituânia) e Plock (Polônia), exercendo as funções de cozinheira, jardineira
e  porteira. Exteriormente nada deixava transparecer a sua profunda vida mística. Ela cumpria assiduamente as suas funções, guardando com zelo a regra religiosa. Era recolhida e silenciosa, embora ao mesmo tempo fosse desembaraçada, serena, cheia de amor benevolente
e desinteressado para com o próximo.

O severo estilo de vida e os extenuantes jejuns que ela se impunha antes ainda de ingressar
na Congregação enfraqueceram tão severamente seu organismo que já no postulado teve
de ser encaminhada para tratamento de saúde. Após o primeiro ano do noviciado vieram
as experiências místicas extremamente dolorosas – da chamada noite escura, e depois os sofrimentos espirituais e morais relacionados com o cumprimento da missão que havia recebido de Jesus Cristo.
Irmã Faustina ofereceu a sua vida a Deus em sacrifício pelos pecadores, a fim de salvar as suas almas, e por essa razão foi submetida a numerosos sofrimentos. Nos últimos anos de vida intensificaram-se as enfermidades do organismo: desenvolveu-se a tuberculose, que atacou
os pulmões e o trato alimentar. Por essa razão, por duas vezes, durante alguns meses, permaneceu em tratamento no hospital.

Completamente esgotada fisicamente, mas em plena maturidade espiritual e misticamente
unida a Deus, faleceu no dia 5 de outubro de 1938 com fama de santidade, tendo apenas 33 anos de idade, dos quais 13 anos de vida religiosa (Notas do Diário de santa Irmã Faustina).

VATICANO, Praça de S. Pedro, 30 de abril de 2000.
O Papa João Paulo II proclama a Irmã Faustina Kowalski santa.


Convento da Congregação de Nossa Senhora da Misericórdia em Plock (Polônia),
onde Jesus Cristo apareceu a Irmã Faustina e lhe recomendou que pintasse uma imagem,
apresentando-lhe o modelo na visão.

Casa da Congregação de Nossa Senhora da Misericórdia, onde nos anos 1933-1936 residiu Irmã Faustina
e onde Jesus Cristo lhe ditou o terço da Misericórdia Divina. Vilna (Lituânia), Rua Grybo, 29

Convento da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora Mãe da Misericórdia
em Cracóvia – Lagiewniki, Rua S. Faustina 3, na Polônia – lugar de descanso dos restos mortais de Irmã Faustina.

Trecho do manuscrito do Diário de santa Irmã Faustina.


No dia 10 de dezembro de 2005, por um decreto da Santa Sé, a santa Irmã Faustina foi proclamada padroeira da cidade de Lodz (Polônia).

Monumento à S. Irmã Faustina na Praça da Independência, em Lodz.

Na página da internet encontra-se o texto elaborado com base em trechos do DIÁRIO de santa Irmã Faustina Kowalski (os números entre parênteses indicam a numeração dos parágrafos) e de trechos do livro
A MISERICÓRDIA DE DEUS EM SUAS OBRAS, do pe. dr. Miguel Sopocko. Queremos com isso divulgar a mensagem
da Divina Misericórdia, proclamada por intermédio de Irmã Faustina e dirigida ao mundo inteiro, que é uma fonte
de esperança para todos os homens.



”A HUMANIDADE NÃO ENCONTRARÁ A PAZ ENQUANTO NÃO SE VOLTAR,
COM CONFIANÇA, PARA A MINHA MISERICÓRDIA” (Diário, 300)

(Palavras de Jesus Cristo do Diário de santa Irmã Faustina).


VATICANO, Praça de São Pedro. Solenidade da canonização de Faustina Kowalski.

No dia 30 de abril de 2000, o papa JOÃO PAULO II institui a Festa da Misericórdia Divina para toda a Igreja e proclama
a Irmã Faustina Kowalski santa.


No dia 17 de agosto de 2002, no Santuário da Divina Misericórdia em Cracóvia (Polônia), o papa JOÃO PAULO II
realiza o ato solene da entrega do destino do mundo à Divina Misericórdia.

Trechos da homilia do Papa pronunciada durante a Santa Missa:

“Ó Misericórdia divina insondável e inegotável,
Quem Vos poderá venerar e glorificar dignamente?
Atributo máximo de Deus Onipotente,
Sois a doce esperança para o homem pecador” (Diário, 951).

“Caros Irmãos e Irmãs!
Repito hoje essas simples e sinceras palavras de Santa Faustina, para juntamente com ela
e com vós todos glorificar o inconcebível e insondável mistério da Divina Misericórdia. Da mesma forma que ela, queremos confessar que não existe para o homem uma outra fonte de esperança que não seja a misericórdia de Deus. Queremos repetir com fé: Jesus, eu confio em Vós.
Essa profissão, na qual se expressa a confiança no onipotente amor de Deus, é especialmente necessária em nossos tempos, nos quais o homem se sente desorientado em face das variadas manifestações do mal. É preciso que o apelo pela divina misericórdia brote do fundo dos corações humanos, repletos de sofrimento, de inquietação e de dúvida, que buscam uma fonte segura
de esperança. (…)
Por isso hoje, neste Santuário, desejo, confiar solenemente o destino do mundo à Misericórdia Divina. Faço-o com o desejo ardente de que a mensagem do amor misericordioso de Deus, proclamado por intermédio de Irmã Faustina, chegue a todos os habitantes da terra e cumule
os seus corações de esperança…”

ATO DE CONSAGRAÇÃO

Deus, Pai misericordioso
que revelaste o Teu amor
no Teu Filho Jesus Cristo
e o derramaste sobre nós
no Espírito Santo, Consolador
confiamos-te hoje o destino
do mundo e de cada homem.
Inclina-te sobre nós,
pecadores cura a nossa debilidade
vence o mal faz com
que todos os habitantes da terra
conheçam a tua misericórdia
para que em Ti,
Deus Uno e Trino encontrem
sempre a esperança.
Pai eterno pela dolorosa
Paixão e Ressurreição
do teu Filho tem misericórdia
de nós e do mundo inteiro. Amém!

Papa João Paulo II


“Amo a Polônia de maneira especial e, se ela for obediente à Minha vontade,
Eu a elevarei em poder e santidade. Dela sairá a centelha que preparará o mundo para a Minha Vinda derradeira” (Diário, 1732).

Deixe uma resposta